Emblema da
38ª Companhia de Comandos
"Os Leopardos"


SÍNTESE HISTÓRICA

38ª Companhia de Comandos
"Os Leopardos"

 
Trigésima Oitava Companhia de Comandos - Guiné 1972 a 1974


Tendo como Unidade Mobilizadora o CIOE - Lamego, local onde decorreu a primeira parte do Curso de Comandos, embarcou para a Guiné em 27 e 30Jun72 tendo regressado em 30Jun74.

De 10Jul72 a 13Ago72, efectuou o treino operacional na região de Mansoa (Morés), nesta actividade teve vários contactos com o inimigo provocando-lhe vários mortos e feridos, capturando-lhe armamento e material tendo sofrido 2 mortos e vários feridos (Operações: "Feitura1", "Feitura2" e "Fadista").

Em 14Ago72 realizou-se a cerimónia de imposição de Crachás no Quartel de Brá Bissau.

Trigésima Oitava Companhia de Comandos - Guiné 1972 a 1974

No dia seguinte marchou para Gampará onde foi substituir a 2ª Companhia de Comandos Africana, numa missão de protecção de uma área recentemente conquistada ao PAIGC.

Manteve-se nesta situação até 02Nov72, altura em que marchou para Teixeira Pinto (Canchungo).

Durante a permanência em Gampará teve contactos com o In (Operação "Águia Errante") tendo-lhe capturado armamento e provocado vários mortos.

A partir de 04Nov72 passa a estar atribuída ao CAOP1, actuando nas regiões do Balenguerez, Caboiana-churo, Burnay e Ponta Matar, destacou-se nesta actividade a "Operação Jamanta" em que emboscou um numeroso grupo inimigo tendo-lho causado vários mortos e feridos, capturando armamento ligeiro e material de guerra. Nesta acção sofreu 2 mortos e 1 ferido.

Em final de Dez72 na Operação "Jovenca" capturou armamento ligeiro, causando 1 morto ao In.

Em 01Fev73 num grave acidente com uma granada na região da Ponte  Alferes Nunes, durante uma acção de apoio ao comando superior sofreu 3 mortos e vários feridos.

Em 04Fev73, acompanhando o CAOP1, passa a estar sedeada em Mansoa, actuando nas regiões de Damé, Cubonge, Morés e Changalana.

Em Maio73 toma parte em duas escoltas à guarnição de Guidage que se encontrava cercada, numa delas liderando a coluna, consegue furar o cerco, entregar reabastecimentos e efectuar evacuações o que muito contribuiu para a melhoria da situação operacional na região.

Nestas acções sofreu 1 morto, 2 feridos graves e vários ligeiros.

Em 17Jun73 foi colocada em Brá (Bissau), sendo integrada no Batalhão de Comandos da Guiné, tomando parte nas seguintes operações:
Jul73. "Malaquite Utópica" região do Balanguerez, Jul/Ago73; "Filtração" (Região do Jugudul (Mansoa) sob comando do BCaç. 4612.

Em 01Set73 é atribuída ao CAOP2 em Nova Lamego realizando patrulhamentos e emboscadas nas regiões de Buruntuma, e Piche, marchando de seguida para o Cumeré onde cumpriu um período de refrescamento operacional a partir de 03Nov73.

A partir de 21Dez73 toma parte nas operações do BCMDS nas regiões de Cadique-Jemberém, (Operação "Galáxia Vermelha" ) onde sofreu 1 morto e vários feridos e em Fev74 na região de Biamdifoi-Biambe, toma parte na operação "Seara Encantada".

Em 07Mar74 seguiu para Cacine, onde passou a actuar às ordens do COP5 nas regiões de Gadamael e Guilege.

Em 03ABR74 recolheu a Bissau onde se manteve até ao seu embarque de regresso a Portugal.

Durante este período sofreu 1 morto provocado por um atentado em Bissau.

A 38ª Companhia de Comandos foi várias vezes citada pelo Exmo. Governador e Comandante Chefe das Forças Armadas da Guiné pelas suas actuações em combate, S Exª General Spínola e louvada em Ordem do mesmo Comando.

Vários dos seus membros foram condecorados com a Cruz de Guerra.

 

 

Seguinte: De Lamego a Bissau - A Formação

Ver: Cronologia Operacional


Trigésima Oitava Companhia de Comandos
A Sorte Protege os Audazes
Guiné 1972 - 1974

Alguns dos conteúdos disponíveis neste website podem chocar pessoas mais sensíveis.
Recomendamos discrição na visualização dos mesmos.

Todos os direitos reservados © 2015.