Comandante da 38ª Companhia de Comandos - General Pinto Ferreira
Elisabete Gonçalves
Amiga e testemunha da
38ª Companhia de Comandos


TEXTOS DA ELISABETE PARA A 38ª COMPANHIA DE COMANDOS

Os “bigodes” da Trigésima Oitava de Comandos

 

 

Os “bigodes” da 38ª CCMD têm nome próprio...e são incomuns!


Incomum foi o privilégio que hoje tive de privar com alguns deles e amigos que se vão juntando a este grupo ímpar.

A força com que se abraçam e se beijam, a maneira carinhosa como se tratam, como dizem que são irmãos... não deixa nem uma pedra da calçada indiferente!

A maneira como recebem os amigos e os fazem sentir em casa é única e cuidadosa.

Mesmo à distância de continentes, arranjam maneira de quem está longe estar presente e falam dos outros...sempre melhor que de si próprios.

Riem-se, brindam, gritam “Mama Sumé” ....e também, numa sensibilidade que não conseguem esconder,choram.

Obrigada a todos e a cada um, pelo que me emocionaram hoje.

Um beijo especial à Dora Alexandre, que admiro pela coragem de aceitar o desafio que tem pela frente. É que contar, para memória futura, o caminho ímpar desta "Tremenda 38", não é de todo fácil!

Quanto aos outros, tão especiais e únicos, tenho apenas uma coisa mais a acrescentar:

Bem hajam pelo privilégio de me permitirem conhecer-vos.

Um forte abraço.

Texto publicado em 16Dez2014.

 

 



TEXTOS DA ELISABETE



Trigésima Oitava Companhia de Comandos
A Sorte Protege os Audazes
Guiné 1972 - 1974

Alguns dos conteúdos disponíveis neste website podem chocar pessoas mais sensíveis.
Recomendamos discrição na visualização dos mesmos.

Todos os direitos reservados © 2015.